Teatro Sérgio Cardoso lança projeto de peças online para equilibrar ausência de público

O teatro Sérgio Cardoso, um dos principais espaços cênicos de São Paulo, tenta se equilibrar nestes meses de portas fechadas com um projeto de peças virtuais —o “Teatro Sérgio Cardoso Digital”, nova programação de peças digitais, que tem início nesta quinta-feira, dia 8.

O projeto começa com “A Despedida”, espetáculo inspirado em Leopoldina e princesa Isabel e dirigido por Iuri Saraiva. Todos os espetáculos ficarão em cartaz pelo Sympla, num serviço de transmissão ao vivo dentro da plataforma.

Atividades online já estiveram na programação do teatro durante este ano de pandemia de coronavírus—shows ao vivo da Virada Cultural de São Paulo online, por exemplo, foram feitos no Sérgio Cardoso, e outras peças de teatro também têm sido montadas no espaço, como “Bonita Lampião”.

Com o projeto, a intenção é que essa programação se torne fixa durante a quarentena, já que é o único formato possível em tempos de isolamento social —e o setor, que pressupõe o encontro entre atores e plateia, é um dos mais afetados pelo fechamento de espaços culturais.

A ideia, no entanto, é que os espetáculos continuem sendo transmitidos online quando as apresentações presenciais forem permitidas de novo.

“Vimos que, dentro desse novo universo, o teatro transmitido tem uma aceitação e uma procura que vai além do espetador tradicional do teatro”, diz Kiko Azevedo, gerente na Amigos da Arte, organização social que gere o espaço público.

“Com uma boa produção, o teatro pode ter mais do que sua capacidade física se estiver também na internet.” Segundo Azevedo, algumas peças da nova programação serão gratuitas e outras devem ser pagas.

Abaixo, veja peças que entram na programação até junho, com ingressos pelo perfil do teatro no Sympla.

 

A Despedida
A peça é inspirada nas figuras históricas Leopoldina e princesa Isabel e discute as limitações impostas às mulheres na sociedade —e que encontra paralelos com o mundo atual.
Dir.: Iuri Saraiva. Até 9/5. Qui. a dom.: 20h. Gratuito, com opção de ingresso colaborativo


Genealogia Celeste de uma Dança
O texto de Juliana Leite, interpretado por Luciano Chirolli, surgiu no período da pandemia e a partir de uma reconexão com o lúdico. A peça reflete sobre a busca por sociedades mais coletivas.
Dir.: Bruno Kott. De 12/4 a 5/5. Seg. a qua.: às 20h. Valor dos ingressos ainda não confirmado


Só se Fechar os Olhos
O texto desse espetáculo, que pretende ser uma “experiência sinestésica”, fala sobre uma dança inusitada entre duas rainhas, que se complementam. A apresentação tem audiodescrição. No dia 25, também às 16h, será exibido o mesmo espetáculo com tradução em libras.
Concepção e performance: Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta. Estreia em 24/4, às 16h. Valor dos ingressos ainda não confirmado


Bonita Lampião
A peça sobre a dupla símbolo do cangaço teria sua estreia presencialmente no teatro Sérgio Cardoso, mas foi reformulada para uma temporada virtual. Com direção de Lena Roque, o espetáculo apresenta a trajetória de Maria Bonita e Lampião e mostra o universo do cangaço, que encontra paralelos com os dias de hoje.
Dir.: Lena Roque. Apresentação em 6/5, às 20h. Valor dos ingressos ainda não confirmado


Monstro
O espetáculo, que surge da pesquisa da Cia. Artera de Teatro sobre o universo LGBT, fala sobre adoção por casais homoafetivos e uma escalada de ataques homofóbicos no Brasil e no mundo.
Dir.: Ricardo Corrêa. Estreia em 1º/6. Valor dos ingressos ainda não confirmado